segunda-feira, 26 de abril de 2010

Criação

No anil do teu céu azul, fico a espera de paz.
No infinito do além mar, deslumbrada fico a ver o que deveras sois capaz
Perante teu luar apenas ouço, a melodia que tem nome,
Silenciar.

Ao teu semelhante deste o nome: homem
Relicário de raridades, ele é tua obra prima
Senhor dos destinos, preferistes libertar,
Para que os errantes saibam o valor do limiar.

Na perfeição pode-se contemplar a constelação,
Com tua aquarela, pitaste em cores os elos, que nos caracterizam homens
Que ficam mais belos com os significados e superstição, essa harmonia que chamamos humanização.


Os gorjeios são um lisonjeio, e,
Reservaste para nós, o melhor de se ver, tocar, e pensar,
Com a sublime certeza que o teu brio jamais se apagará.

Jane Bem

25/04/2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A Carta

15/04/2010

DE: Jane Bem
PARA: Luiz Antônio Bem

Saudações...

Carente de escrever e receber cartas resolvi escrever uma pra você. Senti vontade de te contar de como andam as coisas e por outros motivos também.
Não vou perguntar como você está, por que sei que você está melhor que eu. Sendo assim, acho melhor começar a contar as coisas antes que você repita pela milésima vez que sou chata.

Bom, quando você viajou, nosso mundo de repente parou. Você mais uma vez desobedeceu nossos pais, simplesmente não avisando desta viagem. Sinceramente, isso não se faz, Tereza avó paterna ficou sem saber quem paparicar (você sabe que mesmo tendo muito netos, ela preferia você). Tereza avó materna fez como toda a vida, ela ficou triste sentada naquele mesmo lugar da mesa lembra? Indo pros irmão, nossa nana (Elisangela) chorou muito, você sabe que é sempre ela quem fala das nossas trelas, só que dessa vez era difícil pra ela falar pros nossos pais que você viajou e não se despediu, nem vai voltar. Ela repetia incansavelmente como falaríamos isso para nossos pais. Mas não se preocupe, Eric sozinho percebeu sua viagem (você sabe que ele sempre foi esperto), e Davison ficou junto dela naquela madrugada. Nossa você não sabe como eles a ajudaram. Neto foi o último a te ver, você não o viu, mas ele não esquece, ele também chorou muito por que não tinha mais o irmão pra contar das garotas que ele enamorou. Eu fui a última dos irmãos, a saber, da sua viagem inesperada. Na hora achei que era mentira, achei que era verdade, pra ser sincera, eu não sei o que achei. Eu pedi para irmos te buscar, mas Lili falou que não dava por que você não voltaria. Daí emudeci.

Papai foi o próximo, e acho que é coisa da genética, ele também emudeceu, a diferença entre nós dois é que o coração dele está calado até hoje. Ele gostava quando você ia beijar a calvície dele. Aliás, quando você se foi, você estava precocemente calvo e o seu nariz era igual ao dele. Nossa, apesar de não entender dessa ida repentina, no começo ele foi forte, mas só até o Natal. A mamãe você sabe que é um siri na lata Tontonho, você sabe bem que ela não gosta de ficar longe dos meninos dela. Ela odeia ser contrariada. Com o tempo, ela foi entendendo que os filhos criam asas e se vão. Acho que isso tem haver com as orações dela, papai também ora, mais você sabe que ele é acha que somos tesouros em forma de gente. O que o papai está entende aos poucos é que ele era seu pai adotivo, mas que o seu verdadeiro pai estava te chamando. Mas como você era responsabilidade dele, ele sofre.

Após essa sua saída eterna, muita coisa aconteceu. Umas muito boas outras nem tanto, óbvio que nada se compara a sua viagem. Neto, casou novamente, nova cunhada na área, Kaylane fará 7 anos em outubro. Você não pôde vir na festinha de 10 anos de Eric, na verdade nem eu vi, fiquei de férias e fui ao Rio. Ah! Fui à sede do Flamengo, não sei se você foi quando estava lá. Você ia gostar. Ano que vem eu termino a faculdade, espero ansiosa por esse dia.

Tenho novidades na família, somos tios novamente. Ela se chama Cecília, e é a criança mais linda do mundo. Sei que disse isso quando Eric nasceu e depois repeti quando Kaká nasceu, mas me leva a serio. Ela realmente é linda e encheu a casa de alegria, aliás, a casa não, a família.

Na verdade, estou lhe escrevendo, porque tenho sonhado muito com você. Estou escrevendo pra dizer que mesmo você viajando não me esqueço do seu aniversário, nem da sua ausência no almoço de Páscoa das avós Tereza, não me esqueço também do Natal, você sabe que festas cristãs sempre foram o forte da família. Vou parar de mentir pra você. Na verdade, eu quero te dizer que não me esqueço de você a 2 anos, 8 meses e 27 dias, e amanhã, e depois, e depois... Eu me lembro de você todos os dias, oro por você nessa sua viagem, e espero que você ore pela minha nesse mundo que pressuponho ser mais árdua. Por diversas vezes adormeci chorando sua partida. Sinto saudade do seu lugar à mesa,

Olha às vezes não me conformo de você não ter dito adeus. Mas por sua causa, descobri que sou muito forte. Continuo a ter muito medo das partidas, mas quando me lembro da dor que foi a sua, acho que aquele ditado “decepção não mata, ensina a viver” ficou bem presente em mim.

Despeço-me de você, deixando claro o meu amor, meu orgulho em ser sua irmã, meu arrependimento por não ter dito que te amava mais vezes, e quero te dizer que não estou mais triste com sua partida, mas também não estou alegre, ter que recorrer ao passado sem perspectiva de futuro não é bom. Ufa! Eu quero te dizer que, estou com SAUDADES.

Você não morreu, só partiu primeiro.

Com amor, sua irmã: Jane Bem.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Haiti

De repente tudo tremeu.

Água
Chão
Pés
Mãos
E toda a convicção...


De repente tudo desmoronou.

Casas
Edifícios
Praças
Armazéns
Até o refúgio da freira que professava amém...


De repente tudo morreu.

Sonhos
Planos
Milhares de humanos...


Não de repente tudo surgiu...

Luta
Esperança
Realidade que a vida os lança
Sede
Fome
Incessante vontade que o mundo os olhe como HOMEM.


Jane Bem

26/03/2010

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Adjetivação

Crença,
Bálsamo, amplidão.

Refúgio, Fraqueza
Mas nunca a escuridão.

Amor pelo o amor
Sempre com a “obrigação” de se doar com fervor.

Conhecer, esclarecer, aprender
Discernir Instituição evitando alienação.

A alma,o simples,
A verdade, a santíssima trindade.

Persistência, humildade
Respeitando assim sua onipotência.

Acolhimento, regeneração
Superação.

Se cultivas ele faz, Se esperas ele trás
Se não duvidas, estais hábeis a sentir
O verdadeiro PAI.

Jane Bem

07/04/2010

terça-feira, 6 de abril de 2010

Constatação

A menina que dorme tarde e acorda cedo
Ela estuda, conversa, ler, esbraveja, trabalha e por fim,retorna a estudar.
Ela volta a dormir tarde e acordar cedo.
Ela não respeita o relógio nem seus limites, quando se põe a ver, já estar a nascer à aurora.

Ela tem muitos amigos para ouvir
Tem muitos assuntos para refletir
Muitas tarefas a executar
Mas ela alega cansaço.

A menina diz que o tempo é curto, sugando a promessa da noite anterior em deleitar-se nas suas e nas alheias escritas.
E de fato é, mas às 24 horas diárias contemplam a todos, analfabetos, ociosos, leitores e doutores.
Ela diz que está muito, mais muito cansada.
Ora! Do que exatamente a jovem está cansada?
De ter amigos adoráveis? Atividades que enriquecem a mente? Família de laço forte que abarca tuas alegrias e aflições?
Mocinha deves estar muito cansada mesmo, mas não digas que é da tua vida, pois se assim for, estás perdida.
Arrisco a dizer que isso é mais grave que enfado, a tua doença tem nome: Ingratidão.


Jane Bem

29/03/2010