terça-feira, 26 de outubro de 2010

Hipocondria Literária

Quando a dor sufoca, vejo que é a hora da história.

Não importa se as reais ou as ideais.

Bom mesmo é ouvi-las...

Ser abduzido, conduzido, instruído, evoluído.

Passear os olhos nas palavras é,

Passear o coração em águas claras.

Sossegar para mim é o mais importante,

Ver nas palavras que as possibilidades nunca são o bastante.

Das prosas inventadas, para dias, semanas quem sabe meses.

Ou, na poesia veloz, como se nas linhas se passassem o mundo de uma vez.

De forma que na forma pouco penso.

Já os significados têm que ser no mínimo intensos.

Esqueça os remédios...

Dores da alma há apenas prescrições em altas doses de; Saramago, Guimarães, Pessoa, Gullar, Drummond, Assis e Camões.

Jane Bem

26 de outubro de 2010

3 comentários:

  1. concordo!
    altas doses de Bandeira, Caio Fernando, Drummond e tantos outros que nos fazem mergulhar num mundo de possibilidades utópicas!

    ResponderExcluir